Cursos Online
terça-feira , 11 maio 2021
Capa » Vestibular » Saiba o que evitar ao escrever uma redação no vestibular

Saiba o que evitar ao escrever uma redação no vestibular

Olá, estudantes!

A redação é sempre uma parte muito importante da prova do vestibular. Por isso deve-se dedicar um estudo direcionado a essa matéria. Como estudar redação? Ler bastante, treinar e escrever textos são dicas recorrentes. Mas é importante saber também o que evitar ao escrever uma redação no vestibular.

Veja abaixo:

1- Emprego de pronome relativo

  • “Esta é a região a cujos os limites me referi há pouco”

Correção: Esta é a região a cujos limites me referi há pouco.

Comentário: cujo – pronome relativo: indica posse, equivale ao pronome possessivo seu, sua e concorda com o termo que sucede, dispensando, assim, o emprego do artigo (o, a, um, uma e seus plurais).

  • Você vai conseguir falar com gente que você nunca falou antes…” Bol – Brasil Online (Folha de S.Paulo, 25.10.99)

Correção: ” (…) falar com gente com quem/ com as quais você nunca (…)”.

Comentário: o pronome relativo deve aparecer regido de preposição com, pois quem fala, fala com alguém.

  • Os bancos internacionais, onde o Brasil é credor, decidiram rever as taxas de juros.

Correção: Os bancos internacionais, dos quais o Brasil é credor, …

Comentário: o pronome onde, enquanto relativo deve sempre indicar lugar, exemplo, Eis o colégio onde estudo. O raciocínio que deve ser empregado neste exemplo é: o Brasil é credor de quem? – dos bancos internacionais; portanto, dos quais é credor.

2- Período longo demais

A menos que tenha muita segurança no que está dizendo, o aluno deve evitar períodos longos demais. Muitas informações em um só período quase sempre resulta em falta de clareza e ambigüidade.

  • “É segundo esta noção de projeto que vamos, a partir desta visão humanista da problemática urbana – sem deixar de levar em consideração as nossas condições de país de formação colonial – analisar os projetos de cidade expressos nos trabalhos de diversos órgãos federais.”

Correção: Vamos analisar os projetos expressos nos trabalhos de diversos órgãos federais a partir de uma visão humanista da problemática urbana.

3- Frases muito curtas – estrutura incompleta

  • “Agora, época de eleição, a população cansada de enriquecer políticos, sem escolha de partido.” (Redação de aluno)

Comentário: o trecho acima não foi concluído pelo aluno, dessa forma, a estrutura do período tornou-se incompleta.

Correção: Agora, época de eleição, a população cansada de enriquecer políticos, sem escolha de partido, fica à mercê de discursos moralistas que visam formar a opinião pública segundo os seus interesses.

4- Problemas de significado e construção

  • “Era um belo sábado, uma noite muito agradável onde um lobo ruiva no alto da colina dos Andes, demonstrando estar solidário ou anunciando sua solidão….” (Redação de aluno)

Comentário: O trecho acima, extraído de uma redação de vestibular, apresenta alguns problemas de significado e de construção:

  1. a) uso inadequado da palavra onde;
  2. b) imprecisão vocabular ruiva em lugar de uiva e solidário em lugar de solitário;
  3. c) incoerência externa: presença de colinas nos Andes.

5- Ambigüidade

A função da ambigüidade é sugerir significados diversos para uma mesma mensagem. É uma figura de palavra e de construção. Embora funcione como recurso estilístico, a ambigüidade também pode ser um vício de linguagem, que decorre da má colocação da palavra na frase. Nesse caso, deve ser evitada, pois compromete o significado da oração.

  • Exemplo: ” (…) os corpos do casal B serão exumados pela segunda vez nesta semana.” (Folha de S.Paulo)

Comentário: os corpos serão exumados pela segunda vez desde que foi iniciado o inquérito ou os corpos serão exumados duas vezes numa mesma semana, “nesta semana”? (Unicamp)

  • Exemplo: “O presidente americano (…) produziu um espetáculo cinematográfico em novembro passado na Arábia Saudita, onde comeu um peru fantasiado de marine no mesmo bandejão em que era servido aos soldados americanos.” (Veja, 09/01/91)

Comentário: Às vezes, quando um trecho é ambíguo, é o conhecimento que o leitor tem dos fatos que lhe permite fazer uma interpretação adequada do que lê. Um bom exemplo é o trecho acima, no qual há duas ambigüidades, uma decorrente da ordem das palavras e a outra, de uma elipse do sujeito.

  • Exemplo: “… onde comeu peru fantasiado de marine …”, “… no mesmo bandejão em que era servido …”

Comentário: Pode-se entender que o peru estivesse fantasiado de marine (fuzileiro naval), e não o presidente. Por outro lado, é possível entender que o presidente estivesse sendo servido aos soldados no bandejão, e não o peru.

Correção: O presidente americano, fantasiado de marine, produziu um espetáculo cinematográfico em novembro passado na Arábia Saudita, quando comeu peru no mesmo bandejão de que se serviam os soldados americanos.

Comentário: O leitor deve levar em conta o fato de que o peru não estaria fantasiado de marine, nem o presidente poderia ser servido aos soldados americanos em um bandejão.

Anote estas dicas de estudo do que evitar na redação e pratique, pratique bastante. Assim, a redação pode se tornar a parte mais fácil do vestibular.

Até a próxima!

Fonte: UOL Vestibular

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.